domingo, 6 de novembro de 2011

Pinto da Costa espera rapidamente mudanças nos contratos de trabalho

Pinto da Costa, presidente do Futebol Clube do Porto, espera ansiosamente que Concertação Social termine as negociações sobre as alterações no código laboral, em claro favorecimento dos patrões.

Vitor Pereira poderá ver o seu futuro decidido por causa do Governo

Os resultados do Futebol Clube do Porto não têm sido muito famosos, sobretudo se comparados com os do ano passado, em que ganhou praticamente tudo o que havia para ganhar a nível nacional e internacional, desde campeonato, taça de Portugal, Liga Europa, Supertaça Cândido Oliveira, e no qual teve resultados históricos sobretudo sobre o grande rival, o Sport Lisboa e Benfica.

Esta época o Porto, que apesar de tudo ainda segue em primeiro lugar no campeonato nacional, averbou ontem o terceiro empate para o campeonato nacional, depois de empatar com Benfica e Feirense, fazendo ontem o mesmo frente ao Olhanense. Apesar de Vitor Pereira referir que têm um grande líder, sobre Pinto da Costa, a Bimbosfera soube que o mesmo, depois deste empate e da derrota na última partida da Liga dos Campeões, contra o Apoel, do Chipre, onde carimbou o registo de primeira equipa portuguesa sénior, quer a nível de clubes, quer de selecções a perder com uma equipa cipriota, está a pensar seriamente na hipótese de recorrer das novas medidas de alteração ao código laboral que o governo de coligação PSD/CDS está a propor, e que o patronato está ansioso para usufruir, e que incluem mais meia hora de trabalho por dia, gratuita, por parte dos assalariados, mas sobretudo a hipótese de rescisão de contrato com o empregado por falta de produtividade, ou baixa produtividade.

Vitor Pereira cumprimenta Pinto da Costa

Esta é a única hipótese de Pinto da Costa, mais uma vez, fazer um grande negócio. Depois de André Villas-Boas ter contribuído com 15 milhões de euros para os cofres do Futebol Clube do Porto ao mudar-se para Chelsea, no qual Abramovich pagou a pronto a cláusula do treinador português, Pinto da Costa, ao apresentar e contratar Vitor Pereira (não sabemos qual a cláusula de rescisão de Vitor Pereira da comissão de arbitragem também ao serviço do Porto há alguns anos) estabeleceu com este uma cláusula ainda superior à do anterior técnico, por forma a impedir que algum clube o viesse cá contratar como aconteceu a Villas-Boas, e de valor astronómico, 18 milhões de euros.

video

Vitor Pereira em plena acção no banco do Porto contra o Olhanense


O certo, no entanto, é que Vitor Pereira está, eventualmente, a fazer o seu trabalho de forma pouco produtiva, resultando em críticas da massa adepta portista e figuras mediáticas da sociedade adeptas do clube da cidade invicta, e para Pinto da Costa o despedir, não sendo de mútuo acordo, só pagando a cláusula de 18 milhões ao próprio treinador, daí a esperança nas mudanças ao código laboral, tentando assim desvincular-se do técnico através da medida respeitante à baixa produtividade e por um valor substancialmente mais baixo que a própria cláusula.

A Bimbosfera aguarda para ver o que se vai passar no futuro, em que o próprio código laboral poderá, este ano, intervir directamente no desfecho do campeonato nacional. Aproveite e deixe a sua opinião sobre Vitor Pereira e sobre o que acha que o código laboral poderá influenciar o nosso campeonato!

Bimbosfera

2 comentários:

the_passenger disse...

Depois deste jogo em Coimbra, deve estar desejoso que essas alterações venham bem depressinha...

Bimbosfera disse...

Caro the_passenger, as minhas desculpas por tardia resposta, passou-me, completamente. Não só nessa altura, como ontem também, eheheh!

Abraço

Márcio Guerra

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...